sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Stand by Me Worldwide



Videozinho que já rodou por aí, mas que merece a conferida nos primeiros dias do ano. Do documentário Playing for Change.

2009, o ano do morcego

Após dois dias contabilizando horas de sono suficiente para me manter em pé durante 1/4 deles, assistia ao DVD do último filme do Batman, devidamente surrupiado do meu primo.

Pouco depois do Coringa fazer o lápis desaparecer, dois morcegos entram pela janela do meu quarto e ficam girando pela sala. Após me desviar dos rasantes, abri a toda a janela e eles saíram direto.

2009 vai ser sinistro.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Novas diretrizes em tempos de crise

Diz a velha máxima que não se demite no Natal.

Pois a crise chegou e mudou a velha máxima: ganhei um bilhetinho azul de presente de fim de ano da Rapp. Não só eu, como toda a equipe de criação e conteúdo no Rio. O contrato com a Petrobras foi, aham, "repactuado" e excluiu nós todos. A tal crise não foi a principal culpada; teve decisão interna - leia-se da matriz em SP - e, enfim, é a primeira vez que passarei o réveillon desempregado.

(Tinha até a opção de passar o fim de ano na boa e receber a notícia no primeiro dia útil de 2009, mas achei assim melhor).

Bom, agora é relax nesses últimos dias e primeiros dias do ano, praia, corrida e colocar a cabeça no lugar - de preferência, incluir mais coisas dentro dela. E aproveitar todo o resto de bom que acontece na minha vida. É triste que este seja o último post do ano - reciclado de um e-mail enviado há um tempo para os amigos - mas espero que 2009 reverta tudo em boas notícias. Aliás, as primeiras já estão chegando.

Abs

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Away (Auê) de Petropolis por Arnaldo Branco

Vale a lida da entrevista na íntegra na edição impressa da Rolling Stone.

A parte que ele fala da Globo é impagável e certeira:

"Maluco, só se a Globo me pagar muito caro, morou? Pra ficar nisso mesmo, fico lá onde estou. A Globo é uma parada de peidão! Televisão de velho, porra, como é que a enta já tá no ano 3000 e eles fazendo televisão dos anos 60? A juventude quer ação! O jovem quer pular, o jovem quer ver porrada. O jovem não quer amorzinho, o jovem quer violência"

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

O Ribéry cor-de-rosa



O francês que é puro charme!

(E que chuteira feia. Chuteira digna é chuteira preta.)

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Linha de Passe

Já que a Ancine ia subsidiar mesmo, aproveitei a promoção dos R$ 4 por filme nacional - que, acabei de saber, será prolongada para a semana que vem - e fui me colocar em dia com o Linha de Passe.

Saí do cinema pensando 'caralho, é o melhor filme do Walter Salles' - e olha que tenho o
Terra Estrangeira lá no alto da prateleira de preferidos (pela obra que é, momento em que vi, momento em que foi lançado e tudo o mais). Aí fiquei buscando razões para não ser: tem algumas cenas - e diálogos, principalmente o do assalto dentro do carro, além do momento que o moleque rouba o ônibus - bem forçadas e exageradas.

Mas fiquei pensando porque tinha gostado tanto. É o filme que ele menos parece dar 'liçãozinha de moral'. Pra usar metáfora futebolisca que o título pede, é o que ele parece mais deixar a bola correr solta. Ênfase no parece, já que o diretor tem que ter controle de tudo - e, no caso, consegue passar essa sensação sem artificialidade.


Tem aquele contexto WS de gente fudida e pobre - e que você olha e pensa 'ah, tá, sr. Itaú-Unibanco (e eu ainda assistia no Arteplex)' - mas eles conseguem extrair a felicidade dali. Especialmente o irmão mais novo. Muita angústia que ele empurra junto, mas os cinco personagens seguem levando a vida. Achei, por isso, o filme mais 'crível' dele - o que conta muito pr'um cara que se esforça em mostrar 'realidade social' na tela.

Enfim, honra o subtítulo: 'A vida é o que você faz dela'.

(E adicionais que o filme é bem fotografado pra caralho, a Sandra Corveloni é muito boa e os cinco moleques tem as caras de trauseuntes raladores quer os papeis pedem). Fiquei feliz do Calil ter tido uma
opinião parecida com a minha.

Semana que vem vou aproveitar a promoção com Romance. Passarei longe do 174.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Estréia gloriosa da Editora Livros de Futebol

É livraria virtual que une duas formas de arte. Vira editora narrando a vida do sujeito aí de cima.

Lançamento carioca no dia 8/12, na Livraria do Arteplex. Estarei lá.

Vi (e tirei a imagem) no Blue Bus.

Dupond, Dupont e Magritte


Pedro Doria.

Mais aqui.